Telefone: (11) 3578-8624

ARRECADAÇÃO DE IMPOSTOS CHEGOU A R$ 142.594 BILHÕES NO MÊS DE FEVEREIRO

30 de março de 2022

De acordo com a Receita Federal, a arrecadação do Imposto de Operações Financeiras se destacou no mês de fevereiro.

A Receita Federal Brasileira (RFB) anunciou que a arrecadação federal alcançou R$ 148,664 bilhões em fevereiro, o melhor resultado real de mês de fevereiro da série histórica, iniciada em 1995.

“O resultado de fevereiro foi muito satisfatório, o maior valor da série histórica mesmo considerando o expurgo da inflação do período. Isso demonstra a adesão da arrecadação ao desempenho da atividade econômica”, disse o chefe do Centro de Estudos Tributários e Aduaneiros da Receita Federal, Claudemir Malaquias.

Arrecadação de impostos

Na receita administrada pela Receita Federal, que inclui os impostos de competência da União, a arrecadação chegou no mês passado a R$ 142.594 bilhões, alta real de 3,45% no mês.

Entre os destaques de fevereiro estão a arrecadação de Imposto de Operações Financeiras (IOF), que totalizou R$ 4.539 milhões, crescimento de 26,28%.

Segundo a Receita Federal, esse desempenho se deve ao crescimento das operações de créditos, influenciado tanto por pessoas físicas quanto empresas. A maior arrecadação nas operações de câmbio também influenciou este resultado.

Também foi registrada a arrecadação de R$ 5,01 bilhões em Imposto de Renda retido na fonte sobre capital, elevação de 57,8%. O desempenho é explicado, principalmente, pelos acréscimos na arrecadação de títulos de renda fixa e de Imposto de Renda da pessoa física por ganhos na venda de bens.

Já as receitas administradas por outros órgãos, principalmente royalties da produção de petróleo, cresceram 79,77% acima da inflação no mês de fevereiro e chegaram a R$ 6,070 bilhões.

Aumento na arrecadação

Este foi o 19º mês seguido que a arrecadação ficou acima da projeção feita pelo mercado financeiro.

“As projeções de mercado para a arrecadação federal continuam a indicar expectativa de retomada da atividade econômica e têm se verificado na arrecadação”, disse o coordenador-geral de Modelos e Projeções Econômico-Fiscais da Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia, Sérgio Ricardo Gadelha.

No acumulado do ano, a arrecadação federal atingiu a cifra de R$ 383,986 bilhões, com um crescimento real de 12,92%, também o desempenho mais forte para o período na série.

De acordo com a Receita Federal, o acréscimo observado no primeiro bimestre deste ano pode ser explicado, principalmente, pelos recolhimentos do ajuste de Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido (CSLL) , que totalizaram uma arrecadação de R$ 110.219 milhões, apresentando um crescimento real de 22,36%.

Com informações do Gov.br

FONTE: Contábeis. Por Danielle Nader

Receba nossas newsletters