Telefone: (11) 3578-8624

INVESTIDOR ADOTA CAUTELA NOS EUA EM SEMANA MARCADA POR DECISÃO DO FED

27 de abril de 2021

Índices em Wall Street fecham sem direção única, mas ainda níveis elevados

Após uma semana mais fraca, os investidores operaram em compasso de espera ontem e os índices em Wall Street encerraram o dia sem direção única. Mesmo assim, a alta recolocou o S&P 500 e o Nasdaq em território de recordes.

O Dow Jones encerrou em ligeira queda de 0,18%, aos 33.981,57 pontos, enquanto o S&P 500 avançou 0,18%, a 4.187,62 pontos. O Nasdaq subiu 0,87% e fechou o dia aos 14.138,78 pontos. Na Europa, o Stoxx 600 teve alta de 0,26%.

Diante da divulgação dos balanços das maiores empresas do mercado americano, da decisão do Federal Reserve (Fed) e dos números do Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA do primeiro trimestre, os investidores registraram uma postura mais comedida ontem

Ainda assim, vem chamando a atenção dos analistas a resiliência dos índices em Nova York, um sinal de que o “bull market” (mercado com tendência de alta) não deve arrefecer no curto prazo.

“Não espero nenhum aumento significativo nos índices”, disse Peter Cardillo, economista-chefe de mercado da Spartan Capital, em entrevista ao MarketWatch. “Mas acho que o bull market permanece totalmente no comando, pelo menos por enquanto”, afirmou.

Ao longo da semana, mais de 180 empresas do S&P 500, incluindo dez componentes do Dow, reportam seus lucros, com destaque para as maiores empresas do mercado americano, Apple, Microsoft, Amazon, Alphabet e Facebook.

Até a sexta-feira, 25% das companhias do S&P 500 haviam divulgado seus balanços, com 84% superando as expectativas, de acordo com a FactSet. Caso 84% seja o percentual final de surpresas positivas, o trimestre igualaria marcas recordes do segundo e terceiro trimestre de 2020.

“Esta semana e a próxima trarão a maior parte dos resultados que ainda não foram divulgados. Até o momento, os lucros superaram em muito as expectativas. No entanto, isso não se traduziu em um novo forte aumento nos preços das ações. Isso dá suporte à ideia de que, embora os analistas tenham subestimado o poder da recuperação econômica, os investidores não o fizeram”, disse James Meyer, diretor de investimentos da Tower Bridge Advisors, em nota.

Na quarta-feira, o Fed anuncia sua decisão de política monetária. Não são esperados ajustes nas taxas de juros ou no programa de compras de ativos do banco central, mas analistas devem monitorar de perto qualquer mudança na linguagem do comunicado ou do presidente da instituição na conferência de imprensa.

“Esperamos que a reunião transcorra sem novidades. O Fed foi muito claro ao sinalizar que as taxas permanecerão em zero por muito tempo e não esperamos que isso mude. Os participantes do Fomc [Comitê Federal de Mercado Aberto] continuam a enfatizar que precisam ver evidências reais de dados e não apenas previsões de que estão alcançando seus objetivos antes do início do aperto monetário. Suspeitamos que essa mensagem continuará a ser reiterada na quartafeira”, afirmou Kevin Cummins, economista-chefe de EUA da NatWest Markets.

O dia mais tranquilo no pregão também ficou evidente nos mercados de renda fixa. O juro da T-note de dez anos encerrou o dia em ligeira alta, a 1,575%, de 1,564% do pregão anterior.

Fonte: Valor Econômico – Por Gabriel Roca, André Mizutani e Rafael Vazquez — De São Paulo

Receba nossas newsletters